Carla Speering

Carla Speering

Vice-presidente de cuidados pessoais,

Ásia-Pacífico

Depois de passar 12 anos trabalhando em funções transversais em outra empresa de serviços de saúde e de uma pausa de um ano na carreira viajando pela África do Sul, América do Sul, América Central e Ásia, Carla começou sua carreira na Johnson & Johnson em 2015 como gerente de marketing de grupo em Sydney, Austrália. Nessa função, ela era responsável por liderar uma equipe que se concentrava em quatro categorias — saúde da pele, produtos para bebês, cuidados femininos e cuidados orais. Desde então, ela desempenhou várias funções diferentes na Consumer Health e agora é diretora sênior de marketing de cuidados pessoais da região Ásia-Pacífico.

Leia como Carla descreve algumas de suas experiências mais informativas na J&J Consumer Health até o momento e como sua carreira e desenvolvimento profissional aceleraram como resultado.

 

Acho que o poder da mudança entre funções transversais é subestimado. Em determinados pontos da minha carreira, movimentei-me horizontalmente por diferentes funções, em vez de "subir", mas depois disso fui capaz de acelerar minha carreira por conta da gama de experiências que ganhei com esses movimentos transversais.

Eu tento não olhar para o título de uma função, mas mais para a diversidade e a profundidade que podem ser obtidas dos vastos portfólios de nosso negócio. Quando você muda da área de saúde da pele para saúde oral e depois para produtos para bebês, você realmente ganha algo novo a cada vez. É importante pensar sobre o que você aprendeu com uma função e o conjunto de habilidades que você leva para a sua próxima posição, não apenas o título obtido.

Penso que quanto mais experiência polivalente você tem, mais fácil é se colocar no lugar dos colegas que trabalham em funções diferentes. Por exemplo, sempre digo aos profissionais de marketing que devem dedicar algum tempo em funções de vendas. Adquirir a habilidade de vender um produto pode ajudar imensamente em uma função de marketing, porque você se coloca no lugar do cliente ou consumidor e naturalmente tenta tornar a si mesmo ou à marca mais acessíveis.

Meu maior aprendizado com a movimentação entre funções é que, quando você pensa que sabe tudo, é importante lembrar que ainda há muito a aprender. Nesse caso, me refiro a aprendizado de maneira ampla: não apenas as habilidades necessárias para desempenhar sua função atual, mas o aprendizado que vem ao se colocar em posições vulneráveis ao longo de sua carreira. Acredito que mudanças internacionais e o trabalho tanto em mercados desenvolvidos como emergentes realmente me ajudaram nisso. Quando você vai pela primeira vez a um novo país sobre o qual não sabe muito, é importante ouvir as pessoas que trabalham nesses mercados e os especialistas, para então descobrir como você pode complementar a experiência delas e, por fim, agregar valor.

Meu conselho para os outros? Corram riscos. Especialmente como um funcionário em início de carreira, há uma expectativa e pressão de que você precisa subir na escada corporativa, mas ninguém fala sobre como suas metas podem mudar ou como às vezes você só precisa de uma redefinição. Larguei meu emprego seguro para viajar pelo mundo porque sempre foi essa a minha meta. Foi uma das melhores e mais arriscadas coisas que eu poderia ter feito em minha carreira. Isso realmente renovou minha motivação e energia, e me ajudou a enxergar sob uma nova perspectiva. Portanto, corram riscos, sejam eles pessoais ou profissionais, porque nunca haverá um "momento certo".