Mulher examinando espinhas no rosto – J&J Consumer Health

Como nossos cientistas transformaram uma tendência digital em realidade

Já experimentou uma maskne (máscara para acne)? Os últimos dois anos mudaram a vida de todos nós, de mais tempo em casa a menos viagens. Mas um impacto muito menos falado da pandemia é seu efeito em nossa pele.

De erupções cutâneas induzidas pelas máscaras a espinhas causadas por estresse, a pele tem sido uma luta constante para muitos ao longo da pandemia. Durante esse período sem precedentes, também vimos um aumento no uso das mídias sociais, com os consumidores procurando influenciadores ou até amigos para obter dicas de autocuidado e saúde da pele.

Em 2020, uma tendência de cuidados com a pele que ganhou popularidade nas mídias sociais desencadeou o uso das bandagens adesivas HYDRO SEAL® da marca BAND-AID® para controlar espinhas – e obteve impressionantes 264 milhões de visualizações.

As bandagens adesivas HYDRO SEAL® da marca BAND-AID® usam uma tecnologia hidrocoloide que tem sido a tecnologia avançada de escolha para os produtos da marca BAND-AID®. Essa tecnologia oferece condições ideais para ajudar o corpo a curar melhor as feridas menores. Você pode se perguntar como isso se relaciona com espinhas – bem, espinhas abertas são essencialmente feridas ou uma ruptura na pele.

Como empresa baseada na ciência, pesquisadores da Johnson & Johnson Consumer Health perceberam a tendência nas mídias sociais e conduziram um estudo clínico controlado randomizado que mostrou que nossas bandagens hidrocoloides da marca BAND-AID® são eficazes e seguras quando usadas durante a noite para espinhas fechadas e abertas. Essa pesquisa levou à criação dos adesivos para manchas de acne HYDRO SEAL™ da marca BAND-AID®, que foram clinicamente testados para absorver o fluido da espinha, fornecer um ambiente de cicatrização ideal e são especialmente moldados para diferentes partes do rosto.

“O espaço digital realmente nos ajudou a destacar nossa centralidade no consumidor como empresa”, disse Fernanda Bruzadin, que trabalha em Pesquisa e Desenvolvimento. “O digital não apenas nos aproxima mais do que nunca dos consumidores, mas também cria um funil de troca onde os consumidores podem compartilhar suas ideias e podemos traduzi-las em produtos fundamentados na ciência.”

Na era digital – e particularmente nas mídias sociais – não é incomum que os consumidores entrem em contato com as marcas para compartilhar suas opiniões, positivas e negativas, sobre os produtos. Mas parece que uma nova tendência está no horizonte – uma em que os consumidores aproveitam os produtos existentes para abrir os olhos das marcas para novas formas de uso – e estamos aqui para isso!

Jenny Du-Soriano, gerente de Pesquisa e Desenvolvimento de Cuidados com Feridas da Johnson & Johnson Consumer Health, trabalhou ao lado de Fernanda Bruzadin e de Gabriella John, pesquisadora de Estratégia Clínica, para tornar essa tendência digital uma realidade orientada pela ciência.

“Não é todo dia que uma tendência de mídias sociais resulta em um novo produto de saúde do consumidor – especialmente porque as tendências de saúde no espaço digital nem sempre são precisas ou seguras”, explicou Jenny Du-Soriano. “Mas neste caso em particular, como a tendência foi apoiada pela ciência, nos permitiu utilizar esses insights do consumidor para lançar mais uma inovação que é segura e eficaz.”